terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Titanic: nova investigação diz que causa do naufrágio não foi o iceberg

Indícios apontam que foi o fogo, e não o gelo, que afundou o gigante!

A hipótese de que o Titanic afundou após se chocar contra um iceberg, no Oceano Atlântico, explicou uma das maiores tragédias da navegação civil em mais de um século – mais precisamente desde abril de 1912.


No entanto, uma nova teoria afirma que a verdadeira causa do naufrágio não está, na verdade, relacionada com o gelo, mas com o fogo. De acordo com o jornal britânico The Independent, um incêndio teria preparado o terreno para a tragédia que tirou mais de 1.500 vidas.

A conclusão de vários especialistas é que o Titanic teria afundado após um incêndio de pequena proporção que se estendeu por três semanas antes do navio se chocar contra o iceberg no Atlântico. 

Eles chegaram a essa conclusão após analisar um conjunto de fotografias que tinham sido pouco investigadas até o momento. São imagens tiradas pelo chefe de engenheiros elétricos antes do navio sair do estaleiro em Belfast. 

Nelas, é possível ver algumas marcas pretas de aproximadamente 9 metros de comprimento no lado direito do casco da parte dianteira, exatamente na zona onde o iceberg atingiu o Titanic.


A nova hipótese sustenta que o incêndio teria começado em um tanque de combustível, perto da caldeira. Apesar de um grupo de 12 homens ter lutado para apagá-lo, o fogo chegou a 1000°C e tornou a tarefa impossível. 

As altas temperaturas do incêndio teriam enfraquecido o casco de aço, de modo que, ao se chocar contra o iceberg, o revestimento do navio não aguentou o impacto, provocando o naufrágio.

Imagem: La PAz BCS/México - Instagram/Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário